Se você acha que a aquisição e retenção de talentos – que impacta diretamente o resultado das empresas – é problema do RH, precisamos conversar. Sim, é uma responsabilidade fundamental do departamento de recursos humanos, mas, também do gestor das instalações e do facilities.

Pesquisas apontam que mais de 90% dos colaboradores associam sua felicidade no trabalho a um espaço limpo, superando outros aspectos como organização e tecnologia.

Estudo recente realizado com 1,6 mil funcionários de empresas nos Estados Unidos, revelou que a temperatura e a qualidade do ar interior são quatro vezes mais importantes, para eles, do que amenidades, como por exemplo, academias de ginástica e áreas de descanso. Para 67% dos entrevistados a produtividade está diretamente ligada ao seu bem-estar físico e emocional.

Então, que tal adiar o plano da sala de jogos e investir mais tempo e planejamento na atividade de limpeza que é a protagonista da saúde e do bem-estar das pessoas em qualquer ambiente?

O impacto positivo de ambientes limpos e higienizados

É fácil entender por que colaboradores se sentem mais motivados num espaço limpo e com ar mais puro. Eles se sentem valorizados – o que se reflete diretamente na autoestima. Tem prazer e orgulho em receber os clientes no seu ambiente de trabalho e sutilmente, na maioria dos casos, sentem melhoria da própria saúde.

Pesquisas indicam que vírus, como o da gripe, podem sobreviver em mesas de trabalho e outros mobiliários e equipamentos de escritório, por até 24 horas. Isso coloca em risco a saúde de toda a equipe, levando ao absenteísmo, atrasos e comprometendo a entrega dos resultados. Quanto mais limpo seu espaço, menor a probabilidade dos seus colaboradores adoecerem e maior a sensação de bem-estar que gera maior produtividade.

A desordem é outra inimiga da produtividade. De fato, o tempo perdido na busca de documentos custa milhões, anualmente, às empresas. Organização, método e facilidade de acesso as informações somam pontos no cumprimento das metas. Além disso, a organização significa redução de estresse e distrações, que diminuem a eficiência.

As empresas interessadas em promover a produção e a satisfação no trabalho, pelo ambiente, devem começar instituindo cronogramas e processos de limpeza e manutenção.

Elimine manchas, resíduos e mantenha a qualidade do ar interno

Como em todo espaço com tráfego de pessoas – maior ou menor -, o piso fatalmente será depósito de resíduos, desde os invisíveis – trazidos nas solas dos calçados – até as manchas de café e outros líquidos, e de alimentos.

O resultado é o surgimento de alérgenos, partículas, compostos orgânicos e ácaros. Há ainda outras fontes de sujidade como a umidade causada por eventuais vazamentos ou excesso de água nas plantas, que aumentam a possibilidade do aparecimento do mofo e do bolor e, ainda, fumaça e poluição externa.

O mesmo estudo norte-americano, que mencionamos no início dessa conversa, afirmou que apenas 1 de 4 entrevistados considera a qualidade do ar do seu escritório adequada, e metade deles declarou que a má qualidade do ar interno os deixa mais sonolentos. Mais ainda: quase um terço deles queixou-se de irritação nos olhos e na garganta durante o trabalho. E mais alarmante: 85% dos entrevistados consideram o ar que respiram em suas casas e nas ruas melhor que o do escritório.

Como o gestor pode descontinuar esse círculo vicioso de insalubridade, antes que ele prejudique a saúde e produtividade dos colaboradores?

Um bom começo é a instalação de um sistema de barreiras de contenção. Barreiras de contenção são áreas cujo piso é protegido por um revestimento especial, com a capacidade de reter a sujeira e umidade trazidas pelas solas dos sapatos, minimizando este impacto no ambiente.

Na sequência é importante contar com um programa eficiente de limpeza para todas as superfícies, com atenção especial para os pisos, bancadas, mesas de trabalho, maçanetas e outros pontos de alta incidência de contatos manuais.

Após desenvolver um plano de manutenção de rotina, deve-se criar um cronograma de limpeza profunda para eliminar eficazmente bactérias e contaminantes das fibras de carpetes e demais têxteis, como mobiliário e divisórias. Além disso, a troca trimestral dos filtros HVAC pode melhorar a qualidade do ar interno.

Os colaboradores, também, podem e devem manter suas áreas de trabalho bem cuidadas, limpando derramamentos imediatamente, organizando seu material e fumando apenas ao ar livre. Campanhas internas de conscientização podem ser criadas para dividir com eles a responsabilidade da manutenção de um ambiente agradável e saudável.

Espaços mais agradáveis = Colaboradores mais felizes

O custo da alta rotatividade de colaboradores pode ser imenso para as empresas. Reter talentos vai muito além do salário, benefícios e da academia de ginástica no local de trabalho. É preciso oferecer aos funcionários um ambiente profissional agradável, onde se sintam confortáveis e seguros para desenvolverem todo o potencial de sua capacidade produtiva.

Se você precisa de ajuda no desenvolvimento de programas de manutenção e de limpeza profunda, personalizadas, para seus espaços corporativos, converse conosco.